Arquivo FCT

FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia
Grupo de Gestão Documental

FCTCom o apoio da Prof. Doutora Fernanda Rollo e o trabalho da Dr.ª Paula Meireles, foi concretizada a transferência dos Arquivos de JFDF no Instituto de Histologia e Embriologia, da Faculdade de Medicina de Lisboa para o Arquivo da FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia, para seu respectivo tratamento e arquivamento definitivo.

O Arquivo de Ciência e Tecnologia (ACT)

Missão do ACT
Preservar a história e memória da ciência e da tecnologia, tratando, organizando e divulgando o património arquivístico à guarda da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e outros com interesse científico e histórico.

O Arquivo de Ciência e Tecnologia
O Arquivo de Ciência e Tecnologia integra um acervo de grande valor científico e patrimonial, constituído por arquivos de ciência e tecnologia, produzidos por instituições e pessoas que se dedicaram à investigação científica; que contribuíram para o progresso tecnológico; e que realizaram um conjunto de outras atividades de planeamento, de financiamento, de cooperação internacional, de organização e divulgação de documentação e informação científica, entre outros.
Considerando o valor científico e patrimonial desse acervo histórico, a FCT, em 2008, celebrou um protocolo de colaboração com o Instituto de História Contemporânea (IHC) da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH-UNL) e um acordo com a atual Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (Secretaria de Estado da Cultura), com o objectivo de promover o tratamento e a organização deste acervo, trabalho indispensável à sua preservação, divulgação e estudo.
O trabalho já realizado vem confirmar o interesse e valorizar a existência do Arquivo de Ciência e Tecnologia da FCT, o primeiro Arquivo do género existente em Portugal, e, nesse sentido, enaltecer e reforçar a responsabilidade da sua salvaguarda como fonte primária essencial para a história da organização da atividade científica em Portugal desde meados do século XX, tanto na dimensão nacional como internacional.
O Arquivo está aberto ao público desde dezembro de 2011.
Outra área de intervenção do ACT é a colaboração com outras entidades, no apoio no tratamento documental e eventual integração de espólios ou acervos documentais com interesse para o conhecimento e o estudo da história da ciência e da organização da ciência e das políticas científicas em Portugal. Neste sentido, foi assinado um protocolo com o Instituto Superior Técnico para o tratamento do arquivo da ex-Junta de Energia Nuclear.

Fundo documental do Arquivo de Ciência e Tecnologia
O fundo documental do Arquivo de Ciência e Tecnologia (ACT) é composto por cerca de 4000 metros lineares de documentação. Uma parte significativa da documentação diz respeito à promoção, financiamento e acompanhamento da investigação científica e tecnológica em Portugal.
Esta atividade foi desenvolvida pela Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica (1967-1997), pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (1997-), bem como por outras entidades.
A documentação reporta-se a processos de apoio a projetos, bolsas, unidades de investigação e equipamento científico. Contém, também, documentação relativa à implementação de políticas e estratégias científicas em Portugal e à cooperação internacional na área da C&T.
Para além destes acervos, o património do ACT tem vindo a ser enriquecido através da doação de espólios pessoais de cientistas, como é o caso do espólio Mariano Gago e José Francisco David Ferreira.
O fundo documental do ACT pode ser consultado e pesquisado no inventário disponibilizado na página da FCT através do link http://arquivo.fct.pt/, e a consulta presencial feita nas instalações do Arquivo na sede da FCT.