Jubilação - Discurso proferido pelo Prof. José Barata Moura

Discurso proferido pelo Prof. José Barata Moura na cerimónia de homenagem ao Prof. Doutor José Francisco David-Ferreira, na sua Jubilação, na Aula Magna da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, no dia 1 de Julho de 1999.

 

 

Jubilação - Discurso proferido pelo Prof. José Barata Moura
Data: 9 de Julho de 1999

Da gratidão da Universidade de Lisboa por um daqueles que contribui para a sua identidade, para a sua construção para a sua projecção, para a sua irradiação.

As universidades no seu bem e no seu mal são fruto e são resultado do trabalho de todos aqueles que nela vivem e desejavelmente mais convivam.

Figuras como a do Prof. David Ferreira, a imagem estafada é que são pedras ou tijolos, mas felizmente não são pedras nem tijolos, porque estão dotados de um dinamismo e de uma criatividade, que é o que faz as instituições crescerem, desenvolverem-se e afirmarem-se e o Prof. David Ferreira é efectivamente um agente construtor dessa natureza.

E por conseguinte como instituição nós temos de lhe estar gratos.
 
Prof. (?)…. o que significa no principio era o (?)…., efectivamente o José Francisco David Ferreira é uma encarnação da racionalidade, uma racionalidade viva e não seca, uma racionalidade vibrátil de inquietação e não acomodada às lógicas de um analiticismo apenas tacanho e estreito, uma racionalidade  fraterna e nunca intolerante, uma racionalidade entretecida de afectos, eu creio que é tudo isso que nós reconhecemos na actividade, no trabalho, na obra, na capacidade de comunicar e de estimular camadas jovens e outras menos jovens, que corresponde de facto ao itinerário do José Francisco David Ferreira, Investigador, Professor, Universitário, amigo, pessoa que não recusa, nem  esconde o testemunho cívico ao longo de muitos anos e em situações em que a facilidade nem sempre foi o traço característico. É tudo isso que nós respeitamos dele, e é tudo isso que nós, e é com tudo isso que nós hoje aqui rejubilamos.

É evidente que estas cerimónias da Jubilação tem haver como Júbilo e a forma digna de abordar o Júbilo é exactamente a alegria pela obra feita, mas enfim deixemos obviamente comentários desta natureza que neste caso manifestamente se não utiliza.

Mas eu creio que o nosso Júbilo de hoje e o meu em particular como Reitor, penso que poderá ser que efectivamente foi e é bonito nós podermos olhar para a obra, para a actuação, para o exemplo, para o trabalho do Prof. David Ferreira, mas também é motivo de forte alegria nós sabermos que vamos poder continuar a contar com a sua colaboração e o seu trabalho.

Já há alguns meses quando estas datas se perfilavam no calendário, havia o Prof. David Ferreira e em conformidade, elaborei uma proposta no sentido de ele poder permanecer no exercício das suas funções que vem desempenhando de Vice Reitor da Universidade de Lisboa.

Penso que as coisas estão bem encaminhadas lá pelo Conselho de Ministros e estou seguro que de certo que o Sr. Ministro e o Sr. Secretário de Estado, se é que já não trazem isso no bolso… não deixarão de reconhecer a justeza desta pretensão da Universidade de Lisboa, que ainda por cima enfim não é complicada, outras serão mais complicadas.

E gostava de terminar só com uma pequena brincadeira. Mas todos se lembram que o Erasmo escreveu uma obra chamada Encomium Morie.. e que normalmente é traduzida pelo Encomio da Loucura. Quem conhecer a obra sabe que de facto não é de demência que se trata mas de um exercício extremamente irónico, caustico na sua critica e também de alguma forma é também um elogio da sageza ou sabedoria que é necessária para que num mundo que porventura apregoa mais juízo do que tem provavelmente, continuar a viver nele e a transforma-lo, nesse sentido há uma ponta desta loucura que o José Francisco possui, que se calhar por isso é que aceitou entrar para este barco, desta equipa reitoral que obviamente como todos sabem e muitos sofrem na pele, tem a estrutura de funcionamento em que o reitor comete os disparates e a equipa reitoral que consegue ir pensar que bom que é aquilo que nós vamos fazendo em toda essa maneira de trabalhar, é obvio que o Prof David Ferreira tem desempenhado e eu estou seguro que para bem de nós todos vai continuar a desempenhar um excelente papel de prosseguimento e de alargamento daquilo que tem sido a sua vida, a sua obra, o seu exemplo e a sua irradiação.

Muito obrigado por tudo e vamos continuar.