Homenagem Basílica da Estrela - Prof.ª Doutora Leonor Parreira

Cerimónia de Homenagem a José Francisco David-Ferreira, na Basílica da Estrela, em 9 de Fevereiro de 2012, discurso proferido pela Secretária de Estado da Ciência - Prof. Doutora Leonor Parreira.

 

 

Homenagem na Basílica da Estrela
Data: 9 de Fevereiro de 2012
Locutor: Prof. Doutora Leonor Parreira

Os meus sentimentos à família do David-Ferreira, eu queria dizer umas palavras muito breves sobre David-Ferreira, em boa verdade numa dupla condição, hoje aqui, eu não fui aluna de David-Ferreira, não tive esse privilégio, encontrei-me com ele já tarde na minha vida e foi um encontro de uma extrema fertilidade para mim, vinda da medicina clínica e entrando no mundo fascinante da ciência. E fui recebida por ele, não como discípula, em boa verdade, mas com a generosidade de quem recebe alguém, que não criou, que não educou, porque não tive contacto com ele prévio, mas que me recebeu como a Maria do Carmo Fonseca disse à pouco, num ambiente de liberdade, dando-me oportunidade para fazer o que queria, criando as condições para o fazer e foi para mim muito claro que David-Ferreira transformou de facto a Faculdade de Medicina, como já ouvimos hoje aqui, pela agudíssima percepção de oportunidade que ele tinha. A percepção aguda das oportunidades que surgiram à volta.

E em abono da verdade, julgo para todos os que trabalharam para ele, os seus discípulos directos que estão aqui hoje e que transmitiram o seu legado como já foi aqui mencionado, como os mestres seguintes da Faculdade de Medicina, nas áreas que ele cultivou e muitas outras para as quais ele próprio constituiu a semente, ele foi para mim uma enorme experiência pessoal de uma grande importância. Mas agora numa posição um pouco diferente, em que como Secretária de Estado da Ciência e representando, o sentir do que é o Ministério da Educação e Ciência, sinto talvez de longe, agora de uma forma abrangente, talvez porque estou a ver o país inteiro, o que foi a extrema importância da introdução da ciência, do conhecimento cientifico, da educação da ciência, na própria Faculdade de Medicina e o exemplo que um estudante da faculdade de medicina me ensinou é muito verdade: portanto fazer medicina sabendo ciência é seguramente fazer uma medicina mais racional, uma medicina mais útil, uma medicina seguramente de maior eficiência. O rigor científico que ele introduziu na prática da ciência, nos próprios estudantes de medicina, foi talvez uma das grandes contribuições para a Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, à qual eu me honro de pertencer. E a importância de uma personalidade como foi a de David Ferreira é vista no País como de uma enorme fertilidade para a medicina, sem dúvida, para a própria medicina clínica e como um exemplo que sem dúvida alguma é de uma extrema importância para todo o País, a forma como ele introduziu o pensamento e o rigor científico na formação dos jovens médicos.