Biologia Celular e Molecular são bases do progresso da Medicina Contemporânea (Texto não publicado - 1987)

Colaboração no Projecto de Sensibilização da "Juventude para a Ciência e Tecnologia da Secretaria de Estado da Juventude", Maio de 1987. (Retirado de um Dossier de Actividades do Laboratório)
A BIOLOGIA CELULAR E A BIOLOGIA MOLECULAR SÃO BASES DO PROGRESSO DA MEDICINA CONTEMPORÂNEA

J. F. David-Ferreira - Maio de 1987
Investigador do IGC
Professor da Faculdade de Medicina

Nas últimas décadas tem-se assistido a progressos consideráveis da Biologia. Desses progressos, sobretudo na área correspondente ao estudo da célula e dos seus componentes moleculares, resultou o aparecimento de novas disciplinas caracterizadas pelos seus conteúdos e métodos próprios. Assim, quando hoje analisamos as chamadas ciências biológicas, verificamos que são sistematicamente divididas em quatro grandes áreas: Biologia Animal, Biologia Vegetal, Biologia Celular e Biologia Molecular. O desenvolvimento recente da Biologia Celular e da Biologia Molecular, que se interpenetram não só no conteúdo como nos métodos que utilizam, deve-se a duas ordens de factores: (a) à introdução de novos instrumentos (microscópio electrónico, ultracentrifuga) e metodologias
(radioisótopos, cultura de tecidos) que permitiram alargar os horizontes das explorações, (b) ao método de abordagem pluridisciplinar utilizado no estudo das estruturas e processos celulares.

A célula e os seus componentes deixaram de ser território exclusivo dos morfologistas e deu-se a integração de esforços e métodos de especialistas de diferentes sectores da ciência moderna. Quebradas as barreiras de disciplinas como a citologia, a genética, a bioquímica, a biofísica e a fisiologia, a célula e os seus componentes tornaram-se objecto de uma análise integrada que constitui hoje o conteúdo da Biologia Celular e Molecular.
Todos os organismos ou são células ou são constituídos por comunidades celulares. A célula é assim a unidade mínima em que se manifestam as capacidades próprias dos seres vivos de controlar e regular trocas com o meio, de transformar energia, de metabolizar matéria e de se autoduplicarem.

A cada uma destas capacidades corresponde uma base estrutural cuja organização é hoje razoavelmente conhecida mercê da microscopia electrónica (ver figura junta). Também o significado funcional dos diferentes órgãos celulares, identificados pelos métodos morfológicos, foi e continua a ser analisado utilizando todo o potencial da bioquímica e da fisiologia. Os estudos mais avançados proliferam agora no domínio da estrutura e função dos componentes moleculares. Do seu isolamento e identificação e da análise da sua composição parte-se para a reconstituição das suas funções e significado no todo integrado que é a célula.
À medida que novos avanços se dão surgem novas questões a desafiar o engenho e a imaginação dos investigadores como é próprio do processo científico.

Progressivamente os conhecimentos da Biologia Celular e Molecular começaram a penetrar nos sectores de aplicação: surgem as novas biotecnologias, torna-se possível o esclarecimento dos mecanismos de muitas doenças e abrem-se vias para a sua terapêutica ou para controlar e prevenir o seu desenvolvimento. Muitas das realizações mais espectaculares da medicina contemporânea, das transplantações à fertilização "in vitro", têm como base a massa de conhecimentos pacientemente acumulados ao longo de séculos e os progressos mais recentes da Biologia Celular e Molecular.

O que hoje sabemos sobre a cirrose hepática e os mecanismos de intoxicação pelo álcool teve como base de partida o conhecimento da fisiologia do fígado normal e da organização e funcionamento das células que o constituem. O estudo dos mecanismos celulares e moleculares da aterosclerose, que só recentemente começaram a ser compreendidos, abrem já novas perspectivas à sua cura e à sua prevenção. A base estrutural dos grupos sanguíneo, cuja importância é vital na prática médica, só pôde ser compreendida depois de conhecida a organização molecular das membranas celulares.

Estes e muitos outros progressos da Medicina Contemporânea têm como base os avanços da Biologia Celular e Molecular.

Maio de 1987

 

Ver documento original em PDF (abre uma nova janela)